• editor.aipublications@gmail.com
  • Track Your Paper
  • Contact Us
  • ISSN: 2456-8678

International Journal Of Rural Development, Environment And Health Research(IJREH)

Statistical Analysis to Audiometric Evaluation with Internal Collaborators in a Brazilian Sugar and Alcohol Industry

Cleginaldo Pereira de Carvalho , Luryan Lara Caressato


International Journal of Rural Development, Environment and Health Research(IJREH), Vol-4,Issue-5, September - October 2020, Pages 171-178, 10.22161/ijreh.4.5.2

Download | Downloads : 2 | Total View : 412

Share

Since the Industrial Revolution period, workers have been exposed to noisy work environments that are detrimental to their hearing health. However, in Brazil, mandatory audiometric testing occurred late, and were implemented in the end of 1970s. Noise-induced hearing loss (NIHL) occurs when there is continuous exposure to loud noise, which causes hearing damage, and it is quite common in industry environments, being, then, the center of this work study: the influence of the working are of a sugar and alcohol industry located in the interior of the State of São Paulo in which the hearing of analyzed employees in a period of one year. I´d been used a sample of twenty-eight employees, half of whom were located in the transportation sector and the other half from machine operators. The analysis was performed, comparatively, in 2017 and 2018, considering frequency analysis between 500 and 8000 Hz. As a result for the right ear, there was a reduction in the percentage of NIHL in the transportation sector from 2017 to 2018, while the left ear remained stable. For the machine operators sector, the relationship was inverse, in which an increase in NIHL value checked for the right ear was obtained, so that the left ear remained constant.

ANOVA, Audiometry analysis, Hearing health of employees, NIHL, Sugar and alcohol industry.

[1] Assunção, A. Á., Abreu, M. N. S., and Souza, P. S. N. (2019). Prevalência de exposição a ruído ocupacional em trabalhadores brasileiros: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Cadernos de Saúde Pública, 35(10), e00094218.
[2] Boger, M. E., Sampaio, A. L. L., and De Oliveira, C. A. C. P. (2013). Emissões otoacústicas evocadas por produto de distorção em trabalhadores normo-ouvintes expostos ao ruído ocupacional. Gestão e Saúde, 4(2), pp. 2065-2077.
[3] Bernardi, A. P. A. (2003). Conhecimentos essenciais para atuar bem em empresas: Audiologia Ocupacional, 1 ed, São José dos Campos: Pulso.
[4] Cavalcanti, E. L. (2014). Efeitos auditivos e extra-auditivos relacionados à exposição ao ruído em trabalhadores com perda auditiva induzida por ruído ocupacional em uma usina sucroalcooleira. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Medicina da Bahia, Salvador, Brasil.
[5] Cordeiro, E. D. A., Melo, M. B., and Fernandes, S. C. (2018). Um estudo sobre a utilização da ANOVA de uma via na produção científica na área de psicologia. Revista Meta: Avaliação, 10(28), pp.139-153. http://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/metaavaliacao/ article/view/1455
[6] Dias, A., Cordeiro, R., Corrente, J. E., and Gonçalves, C. G. de O. (2006). Associação entre perda auditiva induzida pelo ruído e zumbidos. Cadernos de Saúde Pública, 22(1), pp.63-68. http://www.scielo.br/pdf/%0D/csp/v22n1/07.pdf
[7] Feltre, C., and Paulillo, L. F. de O. (2013). A Pluralidade nas Transações de Cana-de-açúcar no Oeste Paulista. RAC, 17(6), pp.661-678. http://www.scielo.br/pdf/rac/ v17n6/a03v17n6.pdf
[8] Giustina, T. D. (2001). Custos indenizatórios na perda auditiva ocupacional. In: Nudelmann, A. A., DA Costa, E. A., Seligman, J., and Ibañez, R. N. Perda Auditiva Induzida pelo ruído, vol. 2, p. 235, São Paulo: Revinter.
[9] Guerra, M. R., Lourenço, P. M. C., Teixeira, M. T. B., and Alves, M. J. M. (2005). Prevalência de perda auditiva induzida por ruído em empresa metalúrgica. Revista de Saúde Pública, 39(2), pp.238-244. http://www.scielo.br/pdf/rsp/v39n2/24048.pdf
[10] Kim J., Lee W., Won, J-U., Yoon, J-H., Seok, H., Kim, Y-K., Lee, S., and Roh, J. (2017). The relationship between occupational noise and vibration exposure and headache/eyestrain, based on the fourth Korean Working Condition Survey (KWCS). PLOS ONE 12(5), e0177846.
[11] Kwitko, A. (2001). Pair, pairo, ruído, epi, epc, pca, cat, perícias, reparação e outros tópicos sobre Audiologia Ocupacional. Coletânea N. 1, 238 p. ISBN 8536101784, São Paulo: LTr.
[12] Kwitko, A. (2004). Audiologia forense, cat por perda auditiva, quantificação da pair, audiometria ocupacional, ppp e ética médica, ppp e audiometria e outros tópicos sobre audiologia ocupacional. Coletânea N. 2, 160 p. ISBN 8536105402, São Paulo: LTr.
[13] Kwitko, A. (2006). EPIs auditivos, a irrealidade do NRR e NRR-SF, escolha individual, tempo de vida útil, EPIs para motoristas e outros tópicos sobre audiologia ocupacional. Coletânea N. 3, 238 p. ISBN 8536108762, São Paulo: LTr.
[14] Meira, T.C., Santana, V. S., and Ferreti, S. (2015). Gênero e fatores associados ao uso de equipamento de proteção auditiva no trabalho. Revista de Saúde Pública, 49(76).
[15] Miranda, C. R., Dias, C. R., Pena, P. G. L., Nobre, L. C. C., and Aquino, R. (1998). Perda auditiva induzida pelo ruído em trabalhadores industriais da região metropolitana de Salvador, Bahia. Informe Epidemiológico do SUS, 7(1), pp.87-94. http://scielo.iec.gov.br/pdf/iesus/v7n1/v7n1a05.pdf
[16] Norma Regulamentadora nº 15 (1978). Atividades e operações insalubres (CLT Capítulo V, Título II). Diário Oficial da União.
[17] Norma Regulamentadora nº 7 (1994). Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Diário Oficial da União.
[18] Silva, R. S. A. (2008). Susceptibilidade genética à perda auditiva induzida por ruído (PAIR). (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.